sexta-feira, 20 de março de 2015

PROTOJE

"ANCIENT FUTURE"


Jamaicano. Da nova sofra. Tem o flow. E bebeu da fonte! Agora, o mais relevante, chegou pra cutucar os mais desavisados e pessimistas críticos da musica atualmente produzida na Jamaica. Aqueles muitos que apontam a falência de tais produções. Oje Ken Ollivierre, vulgo Protoje, é hoje um dos mais promissores nomes dessa curiosa e crescente cena do Reggae moderno. Protoje vem chamando atenção dos mais fieis saudosistas aos mais experimentais consumidores da música jamaicana. E não à toa! Protoje deixou de ser promessa e já arrasta multidões.

Para sintetizar, hoje, os mais notáveis lançamentos, os maiores festivais e maior quantidade de apreciadores estão ligados ao revival da incrível cultura dos soundsystens. Diferente dos toasters (mcs ao estilo jamaicano) que são amparados pelos seletores (deejays ao estilo jamaicano), Protoje vem acompanhado de sua banda, chamada Indignattion. É neste ponto que toda a pompa pelo trabalho de Protoje é concebida, esta é sua carta na manga. Em performances memoráveis, o Dancehall, Dub e Roots Reggae é apresentado de forma direta, saindo de cada instrumento "ao vivo e a cores". O que digo é que o talento e o feeling de cada músico envolvido dá o teor especial ao coquetel. Poderia rimar sobre os mais furiosos riddims sem problema algum, mas prefere a soma de referências e experiências individuais, conseguindo, então, obter uma sonoridade robusta, rica e poderosa. Algo inerente, segundo minha tese, exclusivamente a artistas que têm na retaguarda a colaboração de suas bandas ou suas big-bands.

"Ancient Future", lançado agora (março de 2015) é o terceiro álbum de Protoje e sua facção. Depois de terem gravado com Ki-Mani Marley e terem entrado, por exemplo, na trilha de uma das rádios do Grand Theft Auto (GTA), chegam para marcar de vez seu espaço. O disco tem passagens e linhas variadas, usa de receitas da velha escola sem jamais perder a contemporaneidade. Destaque para a faixa "Who Knows" em parceria com Chronixx, outra "promessa jamaicana". Isso é Protoje e esta é minha tese, qual é a sua?


Dê o play, macaco!
"[2015] Ancient Future"
link alternativo: Torrent (ThePirateBay)

1. Protoje Feat. Mortimer - Protection - (4:31)
2. Protoje - Criminal - (3:52)
3. Protoje Feat. Chronixx - Who Knows - (3:26)
4. Protoje - All Will Have To Change - (5:19)
5. Protoje - Stylin' - (3:29)
6. Protoje Feat. Sevana - Love Gone Cold - (4:46)
7. Protoje Feat. Jesse Royal And Sevana - Sudden Flight - (3:37)
8. Protoje - Bubblin - (4:12)
9. Protoje - Answer To Your Name - (3:53)
10. Protoje - Who Can You Call - (3:49)
11. Protoje Feat. Kabaka Pyramid - The Flame - (5:02)

Acesse o site oficial! | Compre o álbum pelo iTunes!

quarta-feira, 5 de novembro de 2014

NASCA

"ONDE VAI DAR"


Aqui na Oficina de Macacos alguns discos recebem um certo carinho especial, cada um com seu motivo. Dentre eles está o disco de estréia da banda Saravah Soul - aquela meia inglesa, meia brasuca (leia o artigo aqui!). Isto porque, além do fato de representar o início do blog, nos identificamos com a diversidade, originalidade e criatividade embebidas na sonoridade da banda. Onde há espontaneamente este tripé, o solo se faz fértil e a arte faz deste terreno o seu habitat natural. Nós também brincamos com estes adjetivos cotidianamente. No caso da Saravah Soul, um dos responsáveis diretos é o carismático curitibano Otto Nascarella. Fundador e líder da banda, lançou neste ano o seu novo single solo e assumiu o pseudônimo Nasca!

O compacto "Onde Vai Parar" apresenta duas faixas extraordinárias com a cara de Nasca. A levada frenética, o questionamento e as referências afrobrasileiras são suas marcas registradas (assim como no Saravah Soul). Aqui, apesar de compacta apreciação, o resultado é primoroso. A primeira faixa é composição do próprio Nasca. Na sequência, uma releitura impecável de "Dia De Ìndio", do mestre Jorge Ben. Aprecie esta preciosidade e aprofunde-se no mundo de Otto Nascarella. A Oficina de Macacos recomenda imensamente!


Dê o play, macaco!
"[2014] Onde Vai Dar"

1. Nasca - Onde Vai Dar? (3:14)
2. Nasca - Dia De Índio (4:32)

quarta-feira, 15 de outubro de 2014

IKEBE SHAKEDOWN

"STONE BY STONE"


Ikebe Shakedown é o nome da trupe. Vieram do Brooklyn gabando-se por trazer um dos mais fantásticos discos de 2014. A big band, formada em 2008, reuniu "amigos de classe" que tinham o mesmo apetite e admiração pela música africana. Cozinharam a ideia e serviram uma obra-prima da mais alta gastronomia sonora. O disco "Stone By Stone", lançado pela Ubiquity Records, apresenta a suculência rítmica, harmônica e de conceito trazida na bagagem dos sete integrantes. Dentre as figuras envolvidas está Thomas Brenneck (dos Dap-Kings e lider do Menahan Street Band). Buscaram referências fabulosas e cabulosas. O groove parece ter sido extraditado cirurgicamente dos anos 70. Carrega, sem esforço, elaborados diálogos entre o naipe de metais, refinadas e precisas casqueiradas na guitarra, baixo com groove pesado e macio. Uma viajem a se fazer sem piscar, abismado. A combinação final ventila bons ares na "fábrica global de música africana", aquela que traz referências da música de origem africana mas que são produzidas e estilingadas nos infinitos cantos do mundo. Agradecemos por ter a Oficina de Macacos como um desses cantos... E não se preocupe, desta pedrada você não vai querer desviar!


Dê o play, macaco!
"[2014] Stone By Stone"

1. Ikebe Shakedown - The Offering (3:46)
2. Ikebe Shakedown - Stone By Stone (3:28)
3. Ikebe Shakedown - The Beast (3:45)
4. Ikebe Shakedown - By Hook Or By Crook (4:07)
5. Ikebe Shakedown - Rio Grande (3:51)
6. Ikebe Shakedown - Last Stand (4:03)
7. Ikebe Shakedown - Cover Your Tracks (3:43)
8. Ikebe Shakedown - Chosen Path (3:23)
9. Ikebe Shakedown - The Illusion (3:33)
10. Ikebe Shakedown - Dram (4:03)

~mais info:
Matéria na WaxPoetics.com

~integrantes:
Barnaby Alter - Drums
Dave Bourla - Percussion
Mike Buckley - Tenor/Baritone Sax
Vince Chiarito - Bass
Jason Colby - Trumpet
Nadav Nirenberg - Trombone
Robin Schmidt - Guitar